quarta-feira, 15 de outubro de 2014

- A CONCRETIZAÇÃO DO “MAPA COR DE ROSA”

ANGOLA E MOÇAMBIQUE PODEM CONCRETIZAR O “MAPA COR DE ROSA”



Angola e Moçambique, no quadro da CPLP, reúnem todas as condições para tornar o “mapa cor de rosa” uma realidade. Bastaria que, usando a sua influência na zona e a dependência da Zâmbia dos portos moçambicanos e angolanos, tivessem vontade de o concretizar.

Estou convencido que o projeto não seria difícil de concretizar, uma vez que a Zâmbia já é um elemento de ligação entre o Caminho de Ferro de Benguela e o Caminho de Ferro da Beira.     O estreitamento das relações comerciais, aproveitando esta ligação, seria forte alavanca para o desenvolvimento daquela zona e, embora para alcançar este objetivo seja suficiente a adesão da Zâmbia, a solução ideal seria incluir o Zimbabue e o Malaui.

- MAPA " COR DE ROSA"


Foi o nome que foi dado a um mapa desenhado em 1886, que sinalizava o território entre

 Angola e Moçambique, sobre o qual Portugal queria exercer soberania, com vista a 

estabelecer ligação entre o Oceano Atlântico e o Oceano Índico. 

A pretensão de Portugal fez 
despertar nos britânicos o desejo de criar uma ligação 

ininterrupta entre o Egito e a Colónia do Cabo, tornando o choque inevitável. 

A disputa culminou, em 1890, no ultimato britânico 
que 
Portugal, inteligentemente, aceitou.